Escolhendo um Dataroom Virtual que Acelere as Negociações no Setor de Aviação

Equipes internas de M&A enfrentam tarefas tediosas, mas felizmente, as tecnologias como, um Dataroom Virtual (VDR), revolucionaram como as equipes de negociação fazem suas tarefas.

26/02/2016

Picking a VDR that Speeds Deals for the Airline Industry

Escolhendo um Dataroom Virtual que Acelere as Negociações no Setor de Aviação

O setor de aviação europeu está avançando rumo à consolidação, informa um artigo de World Finance. Se for o caso, será essencial aproveitar o momento oportuno da realização de deals entre compradores e vendedores. Entretanto, obviamente não são apenas as empresas aéreas que realizam transações de M&A que precisam decidir com rapidez.

Qualquer negociador em um ambiente competitivo e que precise fazer transações estratégicas precisa agir rapidamente. Infelizmente, muitos negociadores também são limitados por seus recursos e não podem agir com a rapidez necessária.

Equipes internas de M&A enfrentam tarefas monótonas, como atualizar-se com e-mails diários e reuniões (tanto internas quanto com terceiros). Felizmente, tecnologias como a de um data room virtual (VDR) têm revolucionado a maneira como as equipes de negociação realizam seu trabalho, automatizando e agilizando os processos de due diligence nas atividades de M&A.

Negociações de M&A exigem velocidade

Veja, por exemplo, a empresa sediada em Paris Worldwide Flight Services Global SA (WFS), fornecedora de serviços de carga e em terra para empresas aéreas com presença em 120 aeroportos internacionais. Em fase de crescimento, a WFS faz transações de M&A e realiza outros projetos internacionalmente. Para ter maior suporte em suas atividades, a WFS deve compartilhar de modo seguro informações comerciais confidenciais entre as partes interessadas dos projetos. Para isso, a WFS mantinha três VDRs distintos operando em uma única plataforma de colaboração.

Entretanto, os funcionários da empresa descobriram que dar suporte a três VDRs era caro e complicado, disse o Diretor Financeiro do WFS Group, Sylvain Rivoire. Reunir os três VDRs da WFS em um único teria sido um desafio para então acessar documentos facilmente. Além disso, o sistema existente exigia Java para a abertura e visualização de arquivos (felizmente, há um modo de contornar isso).

Evitar riscos e complexidade

Em geral, é útil padronizar os data rooms em um único provedor, pois isso pode:

• Simplificar os processos de suporte ao cliente
• Permitir a criação de uma estreita gestão de contas
• Reduzir a necessidade de treinamento para novos usuários
• Evitar os custos incorridos pela manutenção de licenças e relacionamentos com fornecedores individuais

Em 2014, Rivoire analisou o Intralinks Dealspace, que era suficientemente robusto para absorver as VDRs existentes. Como disse Rivoire: “O Intralinks Dealspace era mais eficiente, mais fácil de usar, mais barato e mais flexível”.

Além disso, a Intralinks forneceu um gerente dedicado ao projeto, familiarizado com os diferentes desafios da WFS, e esse esquema simplificou os processos de solicitação do cliente. Outra importante atração era que o Visualizador da Intralinks não exigia um plug-in Java, o que aumentava a segurança e a capacidade de uso do VDR.

Expansão do uso do VDR

O VDR sofisticado e de qualidade empresarial do Intralinks Dealspace também oferece uma interface intuitiva e de fácil utilização. Como Rivoire explicou: “É fácil compartilhar a ferramenta com outras pessoas do grupo”.

Usando a nossa solução de VDR, a equipe da WFS economiza entre 30 e 50% do tempo necessário para configurar e gerenciar um novo VDR (em comparação com o sistema anterior). Essa solução de VDR também serve para colaboração na equipe.

Este é apenas um exemplo de como a consolidação do VDR pode agilizar os fluxos de trabalho, com maior segurança e economia do que ocorre com o uso de diferentes provedores ou instâncias de VDR. Quer saber mais sobre a WFS? O estudo de caso completo está aqui. E se você quiser saber como outras empresas estão utilizando o Intralinks Dealspace, leia o estudo de caso da Abu Dhabi Airports.



Marc Songini

Marc Songini

Marc Songini trabalhou na área de tecnologia da informação por mais de 16 anos. As funções dele foram de jornalista, analista e especialista em comunicações de marketing. Ele admite que, quando começou como repórter novato de alta tecnologia, o Netscape ainda revolucionava o setor com uma nova interface de usuário incrível, chamada de "navegador".Durante os 10 anos no International Data Group (IDG), Marc escreveu para a NetworkWorld e a Computerworld, ambas revistas premiadas.

Fique por dentro

Inscreva-se em nossa newsletter para receber análises de mercado e inspirações de liderança imperdíveis diretamente no seu e-mail. Esta newsletter será enviada em inglês.