Monopólio do mercado e suas consequências

As recentes movimentações do mercado de fusão e aquisição mostram que o Cade está mais rígido e de olho em questões que envolvem a monopolização do mercado.


28/08/2017

Intralinks CSR

Sabemos que a fusão é uma estratégia competitiva, em que empresas se unem em busca de novos objetivos e aumento de seu market share. Mas, afinal, quais são os cuidados que a empresa deve tomar para não correr o risco de monopolizar o mercado?

Para que uma operação como esta ocorra, é preciso realizar uma série de exigências que envolvem um rígido processo e que prevê o cumprimento de legislações e análises das organizações interessadas.

Nos últimos meses, foram divulgadas muitas notícias em que indicavam como o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) tem se posicionado em relação às fusões e aquisições. E, as recentes movimentações dentro do mercado mostram que ele está mais criterioso e rígido.

Para exemplificar, pegamos duas grandes negociações que tiveram destaque na mídia, recentemente: a possível fusão entre Kroton e Estácio – do setor de ensino privado – e a aquisição da Ale pela Ipiranga, distribuidora de combustíveis.

De acordo com o Cade – que rejeitou as duas propostas – a junção dessas companhias traria pontos negativos aos setores em que atuam e isso impactaria nos preços cobrados pelos produtos e serviços oferecidos, formando empresas detentoras de significativa parcela do mercado.

Nas duas situações, o conselho chegou a sugerir medidas para que as operações se concretizassem como, por exemplo, a venda de uma parcela de seus negócios, porém não conseguiram entrar em um acordo com as empresas envolvidas.

Com isso, houve veto a uma possível monopolização que traria muitas consequências negativas, não só aos outros empresários do setor como também aos consumidores que perderiam o poder de escolha.

 



Claudio Yamashita

Claudio Yamashita

Claudio Yamashita é Diretor da Intralinks Brasil, responsável por vendas e operações. Ele tem 15 anos de experiência em soluções de tecnologia e colaboração com empresas de software globais, como Oracle, Ericsson e Amdocs. 
Durante sua carreira, se concentrou em capacitar empresas com serviços e soluções de computação em nuvem para ajudar as organizações a melhorarem o fluxo de trabalho e a produtividade. 

Com experiência na região, o Sr. Yamashita está na Intralinks desde que a Sede Regional foi aberta em 2010 e lidera a equipe no Brasil desde 2012. 

Fique por dentro

Inscreva-se em nossa newsletter para receber análises de mercado e inspirações de liderança imperdíveis diretamente no seu e-mail. Esta newsletter será enviada em inglês.