2014: um ano de negócios para grandes empresas farmacêuticas, de biotecnologia e saúde


16/09/2014

Dada a recuperação do mercado de M&A, pode não ser surpresa o fato de haver um aumento atual nas fusões e aquisições de empresas farmacêuticas, de biotecnologia e de saúde nos Estados Unidos.  Na verdade, em termos gerais, este é um bom momento para M&A, com a economia dando sinais de recuperação.

Esperamos um impulso sustentado na atividade de M&A até o fim deste ano.  Os setores de ciências da vida e farmacêutico, em particular, já estão crescendo.  Em 2014, as M&A em ciências da vida “explodiram”, como podemos ver no Indicador de Fluxo de Negócios (DFI) da Intralinks para o Segundo Trimestre .  “Temos também mais tranquilidade no levantamento de fundos agora do que nos últimos dois anos, graças a condições de crédito facilitadas, um aumento na confiança do investidor e mercados de crédito mais positivos”, afirma o relatório.

Um mercado maduro para M&A no setor da saúde

Do mesmo modo, o setor da saúde em geral está “maduro” para M&A, após um ano de declínio, diz um relatório da empresa de pesquisas Mergermarket. Ela atribui o boom que se aproxima em grande parte à “recuperação da economia, demanda por capital e melhorias na TI, além das implicações da Lei de Serviços de Saúde Acessíveis (ACA).”

Portanto, “muitas entidades buscarão as fusões e aquisições como formas de reforçar seus recursos e melhorar seus modelos de entrega integrada.”

Este aumento previsto ocorre após um declínio na atividade de M&A para saúde e biotecnologia, como a Mergermarket aponta:

  • Em 2012, ocorreram 463 negócios no valor de US$ 124 bilhões.
  • Em 2013, porém, o número caiu para 394 transações que totalizaram US$ 97 milhões.

O relatório sugere que a queda deve-se a “incertezas regulatórias” envolvendo a implantação da ACA.  Agora, esses setores recuperam o fôlego.  Como a Mergermarket diz:

  • Oitenta e seis por cento dos entrevistados esperam aumento de M&A nos setores de ciências da vida e saúde.
  • Para o setor de saúde, 84% dos entrevistados esperam que a atividade de private equity aumente em relação à M&A estratégica.

Aumento nas M&A de empresas farmacêuticas

Outra área que mostra um salto é a indústria farmacêutica.  Como o relatório de DFI da Intralinks observa, o setor se destacou no segundo trimestre de 2014 devido a uma série de grandes negócios.  Uma onda de quedas de patentes tem impulsionado as consolidações. Essa queda disponibilizará alguns fármacos essenciais para a fabricação de genéricos.  Este tem sido um desafio para as empresas farmacêuticas há muitos anos, e muitas empresas têm apenas um “punhado de fármacos em seus arsenais.” Assim, essas empresas estão se voltando para o crescimento inorgânico.

Interessantemente, foi uma oferta fracassada de US$ 100 bilhões pela Pfizer à AstraZeneca que ajudou a criar a atividade.  O movimento da Pfizer “reforçou a noção de que as empresas farmacêuticas sentem a necessidade de grandes jogadas para permanecerem viáveis”, como afirma o DFI da IntraLinks.

Tendências vêm e vão, mas as pessoas sempre terão interesse em prolongar suas vidas.  Este pequeno aumento atual apenas reforça o fato de que algumas empresas usarão as M&As para crescer e atender a essas necessidades.



Marc Songini

Marc Songini

Marc Songini trabalhou na área de tecnologia da informação por mais de 16 anos. As funções dele foram de jornalista, analista e especialista em comunicações de marketing. Ele admite que, quando começou como repórter novato de alta tecnologia, o Netscape ainda revolucionava o setor com uma nova interface de usuário incrível, chamada de "navegador".Durante os 10 anos no International Data Group (IDG), Marc escreveu para a NetworkWorld e a Computerworld, ambas revistas premiadas.

Fique por dentro

Inscreva-se em nossa newsletter para receber análises de mercado e inspirações de liderança imperdíveis diretamente no seu e-mail. Esta newsletter será enviada em inglês.